Pular para o conteúdo principal
Aperte ENTER para buscar ou ESC para cancelar!

Postagens

Postagem em destaque

A vida deve continuar

0
Você sabe, nunca fui boa em refletir nos dizeres aquilo que sinto dentro de mim. Sou um tanto desajeitada e intensa, atropelo as pontuações e por vezes meu sujeito não conjuga os verbos no tempo da ação.

Aquele dia, porém, por trás daquela camada de alegria havia uma insegurança retida no seu olhar. Gelei. Meu ego estava tão acondicionado a ser sempre o ferido que busca conforto em seu colo. Ver-te vulnerável me desestabilizou por completo. A sua luta não podia ser enfrentada por ninguém mais a não ser você mesma.

Entretanto, fui para o campo de batalha enfrentar o inimigo assim como você fez tantas outras vezes por mim sem sequer cogitar o contrário.  E pela primeira vez eu saí da minha cápsula de protegida para tentar fazer algo por ti. 
Não sabia exatamente o que poderia fazer ou por onde começar, só queria de alguma forma que soubesse que foi contigo que aprendi conceitos que dicionários jamais poderiam ilustrar e que eu faria o impossível para retribuir toda devoção e carinho qu…
Últimas postagens

Mais um verão (um verão a menos)

0
Invejo aqueles que possuem a artimanha de aproveitar o tempo que lhes cabe.

De viver o agora sem carregar as marcas do passado e sem pensar no amanhã.

Para compreender que a vida é um ciclo que individualmente é linear com ponto de partida e chegada.

Almejo um dia ser coroada com a maturidade não só em números.

Ainda sinto que sou uma criança que ao menor sinal de perigo corre desesperadamente ao amparo da mamãe e da vovó.

Sinto que ainda há em mim uma esperança, embora pequenina, de que fadas e bruxas existam e que extraterrestres nos visitam enquanto dormimos profundamente.

Peter Pantite.

Ou Síndrome de Peter Pan.

Talvez seja isso.

É irônico.

Quando criança, queremos ser gente grande.

Quando gente grande, queremos ser criança.

Anacronismo crônico

Metaforicamente 0
[ Trilha sonora: Ozzy Osbourne: Here for you ]
Quisera os anos que passaram terem magnitude ou possuírem a manha de danificar o mecanismo que mantém seu retrato intacto na minha estante.
Tampouco deletar suas lembranças tatuadas sobre as minhas feridas não cicatrizadas.

Poderíamos continuar uma década sem nos vermos.
Talvez séculos.
De nada importaria.

Troco de caminho para não te encontrar e me perco neste labirinto.
Não tenho pressa de sair, sei quem vou encontrar ao final do túnel. Rua sem saída.

Mesmo que por metamorfose ou osmose você mude, atrofie, se pinte de outras cores.
Ainda que se fantasie de outra epiderme, mascare seu sorriso, nuble seu olhar.  Eu ainda saberei de você.
Saberei do que te traz sorriso ao canto da boca, do que seca suas lágrimas e do abraço que te reconforta.

Quisera sua armadura ser impenetrável tal ponto que não se desmanchasse diante de mim tão delicadamente como pétala de flor indo ao encontro do chão no outono.
Quisera meu veneno em forma de pala…

Fazer escolhas é uma arte

Metaforicamente 0
Estilo pertencente àqueles que se desfizeram do sangue nas veias para inativar os sentimentos. De quem sabe ser general de guerra, calculista, frio e vidente. De quem é audacioso o suficiente para desafiar o tear do destino. É para aqueles que estão sempre em busca de uma nova aventura, para quem não teme uma descarga do simpático com altas doses de epinefrina sobre o miocárdio.

Fazer escolhas é estar num campo minado onde um pequenino passo em falso resulta na explosão duma bomba atômica paradoxal. Há de ser levado em conta fatores que por vezes fogem o domínio. Por mais que arquitete minuciosamente como atingir seu alvo, sempre fica um tijolo de fora que é lembrado apenas quando o prédio está ameaçando desabar. Efeito dominó em cascata de dor no qual você não é o único acometido pelas consequências do seu erro.

Fiz minhas escolhas. Umas bem feitas, já outras, nem tanto. Resolvi trilhar meu próprio caminho. Eu por mim mesmo. Vovó me abençoou enquanto mãezinha colocava as malas no ba…

Saber dizer adeus é também sobre se dar uma segunda chance de ser feliz

Metaforicamente 0
Trilha sonora: Seafret - Oceans ]
Essa história que arrasto nas costas, perambulando os anos, me tira o conforto dos dias e assombra minhas noites com berros de agonia. São fantasmas implorando por redenção, monstros aflitos enjaulados em minhas reminiscências. Você se foi, há muito. Mas eu continuo rascunhando seus traços no esboço do meu horizonte. Sequer é você mais... Retirei o bom que sobrou de nós e costurei à minha ficção. Debaixo desta colcha de retalhos escondo as feridas que mantenho abertas, sangrando qualquer vestígio de paz.

Entre goles de café e água etílica almadiçoo o bendito dia em que te conheci. Entre minhas canções favoritas e as suas que tomei para mim, toca o silêncio da sua ida sem volta. O silêncio que deu um nó no meu estômago e me fez regurgitar todas as palavras entaladas na garganta. O silêncio que me derrubou e calou minhas lágrimas. Nada foi dito, de fato, apenas sentido.

Nesse barco que navega sem forças o oceano da distância que nos obstruiu, remo co…